Saudades...


Eu costumava sentir saudade de tudo, até dos bens materiais. Sentia falta do meu notebook, do meu celular, do meu livro e de ir ao cinema. Sentia falta de coisas tão fúteis, que quando eu, realmente, percebi o que era saudade, não deu tempo mais de sentir. Pois é, me perguntam: como você não consegue mais sentir saudades? E eu vou dizer a vocês:

A saudade é diferente para cada um. Uns sentem falta de quem já morreu, ou de quem nem morreu, mas pessoas amadas que estão um pouco longe. Outras sentem saudades do que não tem e por ai vamos. Eu sinto falta do futuro. Como? Sinto falta da formatura que eu terei e que por acaso, não terei uma pessoa presente. Sinto falta do que eu vou ser, e de quem não vai estar lá para presenciar. Sinto falta de imaginar meus filhos correndo no gramado e da pessoa que não vai estar lá para abraçá-los. Parece estranho sentir falta de um futuro que você nem sabe o que vai acontecer.

Mas eu sei que vai acontecer.
E eu sei quem não estará lá.

Porque a saudade não fica apenas no passado. Ela leva a vida inteira.

E as vezes, ela chega até a doer um pouco. Ela vem devagarzinho, lembrando que minha rotina é diferente de antes, que eu não sou a mesma de antes. Das coisas que tive que fazer, porque essa pequenina falta que me faz, mudou a minha vida inteira. Mas isso tudo, vai me lembrar para sempre, que eu tive algo ou alguém, que fez a minha vida valer a pena.

E que mesmo que esta pessoa não esteja presente no futuro, foi essa pessoa que fez ser possível meu futuro acontecer da forma que vai acontecer. 

Feliz dia da saudade, mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário